Jorge Machado convidado para Selecionador Regional da Seleção Nacional de Karate

IMG_9859

Após o término da sua carreira desportiva, Jorge Machado foi convidado pela Federação Nacional de Karate – Portugal para ser o novo Selecionador Regional da Seleção Nacional de Karate, na disciplina de Kumite (combate). Na sua ótica, este convite representa “o reconhecimento do seu percurso desportivo e das suas competências técnicas e humanas”.

Depois de ser nomeado Embaixador para a Ética no Desporto, em 2012, no âmbito do Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED), promovido pela Secretaria de Estado do Desporto e Juventude e pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, Jorge Machado acumula agora mais um importante cargo no panorama do Karate Português.

Consciente da responsabilidade do cargo, o antigo atleta internacional assevera que após o ponto final da sua carreira desportiva de alto rendimento, não poderia ter escolhido melhor forma para dar continuidade ao trabalho que tem vindo a desenvolver em prol no Karate Nacional e do Desporto em geral.

O novo técnico iniciará funções a 31 de outubro , onde orienta o primeiro treino da Seleção Regional de Karate da Federação Nacional de Karate – Portugal. Fonte: Jornal do Avehttps://www.facebook.com/jornaldoave/photos/a.1427148287554170.1073741828.1421523328116666/1651663991769264/?type=3&theater

Fim de Carreira

20141004_192523

Caros amigos,

não foi esta a forma que tinha idealizado para terminar a minha carreira desportiva, mas a vida tem destas coisas. Ainda assim, quero dizer-vos que termino feliz, com a certeza de dever cumprido e satisfeito com o meu percurso enquanto atleta de Karate de Alto Rendimento.

Recuando no tempo, recordo-me das minhas primeiras competições, no longínquo ano de 1996. Lembro-me de ser um miúdo magricela e pequenote mas com uma enorme garra e vontade de aprender.

Foi em Vila das Aves que tive o primeiro contacto com a modalidade, com o Mestre Joaquim Fernandes, no clube de Karate Shotokan de Vila das Aves, tendo sido levado pelo meu pai. Inicialmente,  iludido pelos filmes do Bruce Lee, VanDamme e Karate Kid, fui praticando Karate apenas porque queria fazer o mesmo que via. A verdade é que que nem sempre me mantive fiel à modalidade, tendo inclusivamente experimentado o futebol e o atletismo, no entanto, Touro de signo que sou, fui persistente, determinado e decido na minha opção pelo Karate.

Nesta caminhada, há várias pessoas que tenho de agradecer, desde a minha família, ao meu mestre, os meus amigos de clube, de seleção e a todos os outros que de uma maneira ou de outra ficarão na minha memória. Corro um risco enorme em colocar nomes, pois tenho a certeza que me vou esquecer de muitos, ainda assim, penso ter o dever de o fazer e referir muitas das pessoas que me ajudaram a atingir o sucesso: a minha esposa – Célia Machado; os meus filhotes – Eduardo Machado, Maria Machado e Margarida Machado; os meus pais – Joaquim Machado e Graça Machado; a minha irmã – Ema Machado; a minha avó – Maria Luísa; o meu Mestre: Joaquim Fernandes; os meus colegas de treino: Renato, Elisário, Sobral, Avelino, Sandra, Assunção, Paulo Araújo, Paulo Fernandes, Miguel Fernandes, João Leal, Tozé Leal, Filipe Andrade, César, Agostinho Ribeiro, Luís, Filipe Ferreira, Filipe Monteiro, Hugo Lima, Hugo Gouveia, Paulo Rodrigues, Daniela Rodrigues, Fernando, Vítor Hugo, Paulo Rompante, Tiago Lima, Ricardo Rodrigues, Miguel Lopes, João Meireles, Miguel Ramos, Sandra Gonçalves, Bárbara Machado, Carina Fernandes, Nazaré Lopes, Lara Teixeira, Ana Pinto, Emanuel Fernandes, Filipa Fernandes, Cátia Fonseca, Catarina Nunes, Álvaro Rios, Leonardo Barbosa, Jorge Azevedo, Diogo, Rui Tiago Almeida, Elisário Moreira (filho), “Tio” Teixeira, Sr. Meireles (pai), Ana Fernandes, Emanuel Martins, Fábio Miranda, Joaquim Lima, Nuno Lima, Pedro Oliveira, Marina Azevedo, René; aos meus amigos de seleção e não só: Nuno Moreira, Nuno Dias, Filipe Reis, Hugo Soares, Hugo Pina, Mauro Hernandez, Hélio Hernandez, Nuno Mestre, Vitalie Certan, Gonçalo Pinto, Inês Rodrigues, Jorge Caeiros, Pedro Pinto, Pedro Monteiro, Luís Silva, Patrícia Cardoso, Liliana Félix, Catarina Vilhena, Diogo Guincho, Tiago Guincho, Ricardo Sousa, João Pinto, João Oliveira, João Pedro Machado, Amílcar Ferreira, Rui Jerônimo, Fernando Ferreira, André Gonçalves, Daniel, André Perestrelo, Ricardo Carvalho, Manuel Loureiro, Jorge Peixeiro, João Duarte, André Vieira, Diogo Constantino, Afonso Queirós, Pedro Valadas, Filipe Silva, José Moreira, Daniel Santos, Ana Paula Ribeiro entre muitos outros; aos meus alunos mais velhos: Diana Silva, Shazod Yusupov, Sharznoza Yusupov, Miguel Martins e Diogo Machado; aos meus treinadores da seleção, desde a equipa que me selecionou em 2003, aos atuais: Pedro Gonçalves, João Dias, José Ramos, Joaquim Gonçalves, Vítor Gomes, Rui Diz, Estevão Trindade, Carlos Saúde; aos presidentes Raúl Cerveira e João Salgado; a três pessoas que foram muito importantes durante a minha “estadia forçada” na Madeira: Alberto Santos, Ismael Fernandes e Norberto Mendonça; aos poucos mas fantásticos patrocinadores que me apoiaram em determinados momentos da minha carreira: ao Karate Shotokan de Vila das Aves, Joaquim Lima (Joltex), Rui Areal (Clube do Rio), Ilídio Barros (Norte Marciais Sport), Manuel Oliveira (MOS), Pais e Mãe; ao Centro Português de Karate e à Federação – Federação Nacional de Karate – Portugal. Ao longo da minha carreira desportiva, outras pessoas foram importantes e marcaram momentos, a essas tenho de agradecer a forma como, de uma maneira ou de outra, me motivaram e ajudaram a prosseguir com os meus objetivos. Foram sem dúvida inúmeras as pessoas que me ajudaram nesta caminhada. A todos eles o meu sincero Obrigado e espero nunca as ter desiludido.

Mas voltando ao meu percurso desportivo, recordo com saudade o 5º Lugar alcançado em Marselha 2003. Tenho a certeza que não poderia ter feito mais do que fiz, embora tenha a certeza que se pudesse voltar atrás, não deixaria fugir aquela medalha. Ainda assim, fico feliz por terem sido várias as oportunidades que tive para lutar por lugares de pódio. Menos felizes foram os desfechos, com as medalhas quase sempre a escapar-me entre os dedos. Hoje vejo isso como uma aprendizagem, como uma lição de vida e, acredito verdadeiramente, que a “estrelinha” que me faltou nessas alturas, foi a mesma que me esteve comigo na Madeira e no acidente de viação de 2010. A vida tem destas coisas!

Não me posso esquecer, também, do Prémio de Mérito Desportivo atribuído pela Confederação do Desporto de Portugal a 27 de Novembro de 2003. Nesse dia tive a honra e o prazer de conversar com o Pantera Negra – Eusébio e jantar frente a frente com o Prof. Moniz Pereira. Guardo também com bastante orgulho as distinções feitas pela Câmara Municipal de Santo Tirso e Câmara Municipal de Vizela, que me agraciaram com as medalhas de mérito desportivo.

Dito tudo isto, nada seria possível sem trabalho, esforço e determinação. Foram muitos os anos em que acordei às 06h30 da manhã para treinar, depois ia para a escola, para a universidade e, por último, para o trabalho. Ao final do dia, voltava a treinar, entre as 19h00 e as 22h00 e dava aulas. Não havia pausas para feriados, datas festivas, passagens de ano ou natais. Muitas foram as horas a treinar num local frio, húmido, com cheiro a gasolina, mas onde me encontrava e fazia o que mais gostava. Muitas foram as horas em que um mero saco foi o meu confidente, amigo, psicólogo e treinador. Muitas foram as horas em que sofri mais do que me diverti mas no final, o sentimento de dever cumprido era avassalador. Aliás, a vida é feita de equilíbrios, senão vejamos, não há vida sem morte, alegria sem tristeza, dia sem noite, vencer sem perder e derrota sem vitória. Desde que me conheço que procuro esses equilíbrios.

Ao nível das minhas conquistas em território Nacional, recordo-me de quatro com maior saudade.

1. O II Torneio Internacional de Portimão em 2001. Nessa altura, com apenas 15 anos combati no escalão de sénior. Lembro-me como se fosse hoje por ter sido a maior tareia que levei numa competição. Ainda hoje me recordo de olhar para os meus colegas de equipa e dizer que não aguentava mais. A verdade é que continuei e a equipa conseguiu uma fabulosa vitória na final frente à Espanha.

2. O meu primeiro título de sénior, logo no meu primeiro ano de júnior, tendo nesse ano acumulado os dois títulos de campeão nacional.

3. O título de campeão nacional conquistado em 2009 (7º título). Relembro este título com alguma mágoa, pois a minha vitória impossibilitou que um dos meus ídolos não terminasse a carreira da forma que tinha imaginado e da forma que merecia. Ainda hoje, se pudesse voltar atrás, e soubesse da intenção do Fernando Ferreira em abandonar a competição após aquele combate, tudo teria sido certamente diferente.

4. Por último, o meu último campeonato nacional que fiz em março de 2012, tendo conquistado o meu 11º título Nacional em individual. Nessa altura, sabia que o fim estaria próximo e sabia que não poderia dar mais de mim do que tinha dado nas duas épocas anteriores.

A nível internacional, destaco três momentos.

1. O mundial de 2003, por ter sido o primeiro e por tudo o que representou para mim.

2. O Campeonato da Europa em 2011, provavelmente na melhor época da minha vida, onde deixei a medalha de bronze fugir a escassos segundos do fim, para o Super Campeão William Rolle.

3. A medalha de Bronze conquistada em Itália numa prova da Golden League, em 2011, que justificou todo o sofrimento, privações e lutas que tive em toda a minha carreira. Foi sem dúvida a medalha mais saborosa que alguma vez alcancei.

Hoje, espero ter deixado uma marca no Karate Nacional. Mais do que medalhas e glória, sempre pretendi que as pessoas, principalmente os mais jovens, olhassem para mim como uma referência, um exemplo de querer, esforço, atitude, respeito, abnegação, coragem e carácter, tudo o que acho sem importante para vencer, seja num desporto seja na vida.

Concluindo, e porque o texto já vai mais longo do que pretendia, desde 2012 que tinha feito uma pausa na minha carreira, tendo apenas competido em 2 provas em 2014. Hoje, 21 de setembro de 2015, anuncio que me retiro definitivamente do Karate Desportivo, de Alto Rendimento.

Faço-o sem mágoa, faço-o com sentimento de dever cumprido, faço-o feliz e acima de tudo, faço-o porque acho que chegou a hora!

Ficam os vídeos, as fotografias e as memórias.

Obrigado a todos e um forte abraço daquele que era conhecido como o “Machado”.

Por quem? Por Portugal|

Oss.

Vila das Aves,

21 de Setembro de 2015

Jorge Machado401898_421814084525398_1253099498_n

Exames de Graduação – Secção de Karate da AR Rebordões‏

57573_792780620770716_364924174527505070_o 10847547_800799939986522_4752773500526032425_o

A Secção de Karate da Associação Recreativa de Rebordões, realizou no passado dia 27 de janeiro de 2015, exames de graduação para os seus atletas, tendo o mesmo sido avaliado pelo Sensei Joaquim Fernandes.

Dos alunos propostos a exame, todos conseguiram a tão desejada passagem de cinto.

Atualmente, a secção que completa este ano 3 anos de existência, além dos resultados desportivos já alcançados, possui também um leque de graduados cada vez mais relevante.

Após esta graduação, a secção de Karate prepara agora a participação nas restantes provas do calendário nacional de Karate

Jorge Machado formador do programa LED / PNED‏

20141119_110733 20141107_213102
Jorge Machado, foi convidado pelo programa LED e PNED, para ser formador na área dos Valores e Ética pela Prática Desportiva.

O programa LED é um Programa de Literacia Social que, conjuntamente com o PNED – Plano Nacional de Ética no Desporto, tem vindo a desenvolver uma série de formações sob o tema “Educação para Valores e Ética pela Prática Desportiva”.

Jorge Machado manifestou-se extremamente honrado e feliz por este convite, reconhecendo que a sua maior satisfação é poder contribuir para a educação das crianças e jovens adultos.

Num período onde os valores e a ética são constantemente postos em causa, estas formações pretendem colocar as crianças, os jovens e os adultos a pensar sobre os limites e sacrifícios que a sociedade está disposta a ultrapassar e exigir, respetivamente, pela obtenção de um resultado desportivo. Que valores estamos nós, enquanto cidadãos, dispostos a sacrificar pela conquista de um resultado e qual o preço que estamos dispostos a pagar.

O Desporto apresenta-se hoje como um forte veículo para a transmissão da Ética e de valores humanos, sendo uma ferramenta de intervenção e transformação social importantíssima, através de ideais como a luta contra a violência, o Fair Play, a defesa da igualdade social, de géneros e de raças, assim como pelo papel primordial na inclusão, coesão, respeito e bem estar de cada um dos cidadãos.

KARATE INTO THE OLYMPICS 2020 | KARATE NOS JOGOS OLÍMPICOS 2020 – PETIÇÃO

E esta prenda de Natal?!

Em 25 de dezembro, foi apresentado junto do Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia (MEXT) do Japão, uma petição para que o Karate seja incluído como um evento oficial nos Jogos Olímpicos de 2020, a realizar em Tóquio em 2020. (notícia WKF)

Após a derrota em 2012 para que o Karate entrasse como modalidade olímpica nos Jogos de 2020, surge agora uma nova oportunidade para realizar esse sonho.

Consulte o documento da petição aqui.

Mais informações no site da World Karate Federation.

Vamos todos assinar a petição e colocar justiça naquilo que já há muito deveria ter acontecido: KARATE MODALIDADE OLÍMPICA!!

Abraço e um Bom Ano a Todos.

22º Campeonato Nacional de Cadetes e Juniores – Programa – Atualizado

Consulte aqui o programa do 22º Campeonato Nacional de Cadetes e Juniores da Federação Portuguesa de Karate.

PROGRAMA

CARTAZ

Mais informações em http://www.fnkp.pt/pages/52?event_id=138

A ARRebordões estará presente com o atleta Diogo Machado.

10649637_761037367296113_5045005324371888436_n

Entretanto, votos de boas festas.

Abraço

2014 in review

The WordPress.com stats helper monkeys prepared a 2014 annual report for this blog.

Here’s an excerpt:

A New York City subway train holds 1,200 people. This blog was viewed about 3,900 times in 2014. If it were a NYC subway train, it would take about 3 trips to carry that many people.

Click here to see the complete report.

Sem Título

Classificações das 2 jornadas da Liga Olímpica de Karate

Caros leitores,

deixo aqui o link para consulta das classificações das 2 jornadas da Liga Olímpica de Karate (Alcabideche e Póvoa de Varzim): http://www.fnkp.pt/pages/50?news_id=627.

Caso queiram, podem fazer download aqui: RESULTADOS_LIGA_OLIMPICA_duas_jornadas.

Abraço.

ARRebordões de Bronze na Taça Nacional do Centro Português de Karate

20141115_193240 20141115_193542

Decorreu no passado dia 15 de novembro de 2014, no pavilhão municipal de Castelo de Paiva, a Taça Nacional do Centro Português de Karate.

A Associação Recreativa de Rebordões fez-se representar por 4 atletas: Shazod Yusupov (juniores – 76kg), Diogo Machado (juniores -68kg), Diana Silva (seniores – e + 68 kg) e Jorge Machado (seniores – 75kg).

Todos os atletas alcançaram o terceiro lugar nos respetivos escalões.

20141115_192036 20141115_192125 20141115_193134

No meu caso em particular quero deixar duas breves notas:

– Lamentar profundamente o sucedido com o meu amigo Hugo, ficando extremamente feliz e descansado por estar tudo bem.

– Esclarecer que este meu regresso, mais relaxado e descontraído, não significa que não treine afincadamente, TODOS OS DIAS, para salvaguardar a integridade física dos meus adversários e minha.

Dito isto, muitos parabéns a todos. Eu e o Sr. Machado estamos bastante orgulhoso de vocês..

Agora vou fazer umas férias. Até 2015 😉

Um forte abraço.

22º CAMPEONATO MUNDIAL DE SENIORES WKF – BREMEN -ALEMANHA CURSO DE ARBITRAGEM WKF

10616134_10203204065242312_3973596405311816907_nDecorreu entre 30 de Outubro e 9 de Novembro o Curso de Arbitragem da Federação Mundial de Karate (WKF), em simultâneo com o 22º Campeonato Mundial de Karate Seniores.

Para além da representação da equipa nacional, Portugal fez-se representar por 2 árbitros mundiais, o José Chagas e Joaquim Fernandes.

O curso contou com a presença de 307 Árbitros e Juízes, sendo 205 em Kumite e 104 para a Kata, tendo José Chagas obtido a licença de JUIZ A de KUMITE e Joaquim Fernandes a licença de ÁRBITRO A de KUMITE, juntando assim à licença de Árbitro A de Kata, o que faz com que tenha atingido topo da carreira, sendo o primeiro árbitro nacional a conquistar tal estatuto.

Desta forma, a Arbitragem Nacional Portuguesa fez história.

Parabéns.